sábado, 28 de janeiro de 2012

DENÚNCIA: Palacete Vitor Maria da Silva (Casarão do Ferro de Engomar) sendo destruído pelo descaso



Infelizmente na noite de hoje chegou ao nosso conhecimento mais um exemplo de descaso com o patrimônio histórico de Belém.
Poucos são os que lembram do Palacete Vitor Maria da Silva, também conhecido como Casarão do Ferro de Engomar. Muitas vezes passamos despercebidos por este verdadeiro tesouro da Art Nouveau em Belém e que guarda em seu interior painéis de azulejos criados por A. Arnoux e Boulanger & Cie.

O Palacete em questão, localizado na Veiga Cabral com Presidente Pernambuco, próximo ao Shopping Pátio Belém, está sendo vítima de depredação e ação de meliantes que invadem seu espaço para roubar seus painéis de azulejaria. Segundo informações dos amigos e colaboradores da ASAPAM através de twitter, facebook e email, o prédio foi adquirido pela iniciativa privada mas permanece à mercê da invasão de vândalos.

Vamos fazer valer nossa voz e a Lei Ordinária nº 7709 de 18 de maio de 1994, onde a Câmara Municipal de Belém define em seu Art. 1º que o Poder Público é responsável pela promoção, preservação, conservação, proteção e tombamento, assim como a fiscalização, execução de obras ou serviços visando a valorização do Patrimônio Cultural de Belém e que o município procederá o tombamento parcial ou total de bens de valor histórico, artístico, ambiental ou cultural e que o processo de tombamento poderá ser iniciado a pedido de qualquer interessado, proprietário ou não do bem, por grupo de pessoas, incluindo-se associações ou quaisquer outras organizações interessadas na preservação e proteção da memória cultural (Art. 3º e 4º).

Definitivamente não podemos deixar que esse crime continue!

Fotos: Michel Pinho

Texto de Renata Souza Barros, historiadora - ASAPAM

Um comentário:

  1. FIEPA está destruindo imóvel tombado na Rui Barbosa entre Braz e Nazaré.
    Este imóvel serve de estacionamento para a cúpula da FIEPA e para guardar material de expediente.
    A prefeitura de Belém desapropriou o imóvel e mesmo assim a FIEPA pagou o que o imóvel não vale.
    Acredito que a transação foi feito no Cartório Kós Miranda.
    Basta investigar.
    Tem cheiro de traquinagem da Fiepa aí.
    Repito a FIEPA pagou imóvel desapropriado e tombado por preço acima do valor de mercado.

    ResponderExcluir